baer

Uma das notícias que abalaram todo no mundo dos games, foi a morte do Ralph Baer, o mais conhecido como o pai dos videogames, Ralph morreu aos 92 anos. Nascido na Alemanha em 1922 e se mudou com a família para os Estados Unidos em 1938, estava em casa, em Manchester, no estado de New Hampshire. Não há informações sobre a causa da morte.
O inventor desenvolveu, trabalhando na empresa Sanders Associates, o primeiro console doméstico, originalmente batizado de “brown box”. O aparelho foi licenciado e comprado pela Magnavox, que a partir de 1972 passou a vendê-lo com o nome de Odyssey.

O obituário do site Gamasutra, especializado em games, destaca que o Odyssey “lançou as bases para os videogames como os conhecemos hoje”. No primeiro ano após o lançamento, foram vendidas 130 mil unidades.

Meses depois de o produto chegar às lojas, a Atari lançou o jogo Pong, o primeiro arcade. Embora o Pong tenha se tornado mais conhecido que o Odyssey, a Sanders Associates e a Magnavox viram ali uma violação de patente, conforme descreve o obituário do “New York Times”.

Eles então processaram a Atari em 1974 e receberam US$ 700 mil. Ao longo dos 20 anos seguintes, a Sanders e a Magnavox processeriam dezenas de outras empresas, ganhando ao todo mais de US$ 100 milhões. Baer foi testemunha em muitos desses casos.

Ícone da cultura pop
Em 2006, Ralph H. Baer recebeu das mãos do então presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, a Medalha Nacional de Tecnologia. Em 2008, foi homenageado com o prêmio de pioneiro na conferência Game Developers. Em 2010, entrou no Hall da Fama do National Inventors, entidade que reúne os inventores americanos.

Chamado lá fora de “Simon”, o jogo Genius surgiu em 1978 e se tornou, nos anos 1980, um ícone da cultura pop. Ele é vendido até hoje. “Para mim, ter ideias novas e transformá-las em produtos reais foi sempre tão natural quanto respirar”, escreveu Baer em sua autobiografia, “Videogames: In the beginning”, publidada em 2005.

De acordo com o “New York Times”, Baer registrou ao longo da carreira mais de 150 patentes, tantos nos Estados Unidos quanto em outros países. Ele deixa dois filhos, James e Mark, uma fiilha, Nancy, e quatro netos. Sua mulher, Dena Whinston, com quem foi casado por 53 anos, morreu em 2006.

(Fonte G1)