Um grupo de hackers denominado Team Molecule divulgou um desbloqueio total do hardware do PS Vita na última sexta-feira (29).

Mesmo quase cinco anos após o seu lançamento, a segurança interna da plataforma permanecia “mais ou menos” intacta. Já haviam alguns hacks por meio de seu emulador de PSP e, cerca de um ano atrás, foi divulgado um método de se explorar uma versão antiga do firmware do console que necessitava que ele estivesse conectado ao PC — mas nada disso garantia controle total do aparelho.

Conhecido como HENkaku, o exploit é leve e de fácil instalação, rodando na última versão de firmware disponível para a plataforma. Apesar da exploração não trazer qualquer tipo de código que permita a pirataria, o nível de acesso ao hardware do console permite, em teoria, que outros desenvolvedores criem aplicações para tal finalidade.

Em seu site, um dos desenvolvedores da Team Molecule, Yifan Lu, deu seu posicionamento sobre o assunto:

“Ele [o exploit] não desabilita nenhum recurso DRM [direitos de uso de softwares]. Ele não permite que você desvende a criptografia dos jogos. Esta é minha opinião sobre o assunto: eu não me importo de um jeito ou de outro sobre a pirataria. Eu não julgo as pessoas que a fazem e eu não vou agir como polícia dos piratas. Entretanto, eu pessoalmente não irei programar quaisquer ferramentas que a auxiliem. Esta é a minha escolha, assim como é escolha dos piratas roubar conteúdo.”

(Via: IGN Brasil)