Já vimos todo tipo de perola no Enem, mas essa com certeza vai superar. O portal do INEP que gerencia as inscrições dos alunos no Enem e no SISU, teve uma pequena falha de segurança explorada por trolls.

O pior de tudo é que os trolls ainda trocaram a opção do curso de Medicina para “Produção de Cachaça”, um curso disponível no Instituto Federal do Norte de Minas gerais, na cidade de Salinas (MG)

Segundo o site da Época, a aluna teria descoberto essa invasão nesta terça-feira (31): “Eu não consigo acreditar que fizeram essa ruindade comigo” segundo sua declaração a revista.

O ataque aconteceu porque o sistema de recuperação de senha do portal do INEP é inseguro, e permitia que uma pessoa redefinisse a sua senha apenas informando alguns dados.

O IFNMG, no perfil oficial no Facebook, reprovou a ação de hackers e exigiu respeito ao curso de produção de cachaça, oferecido na cidade mineira de Salinas. “Tanto os alunos quanto o curso Produção de Cachaça merecem o nosso respeito. Para quem não sabe, Salinas é uma cidade do Norte de Minas reconhecida mundialmente pela produção de cachaça, e o curso é o único do país oferecido por instituição pública na área. Quem tirou nota mil pode cursar o que quiser. Afinal, quem é nota mil terá sucesso em qualquer área. E a cachaça de Salinas é nota mil!”

Tereza foi uma das 77 pessoas que conseguiu a nota 1.000 na redação em todo o Brasil, no entanto o desempenho em geral não foi suficiente para conseguir a aprovação no curso de medicina. Mesmo assim, a estudante manteve a inscrição nas duas opções para medicina, mesmo sabendo que não teria chance de ser aprovada.

Na noite de segunda-feira (30), Tereza recebeu uma mensagem de uma pessoa desconhecida na rede social Facebook com um print da lista de aprovados em um outro curso, incluindo o nome dela. No momento, achou que era montagem e não se preocupou.

Nesta terça-feira (31) recebeu a notícia de que sua conta teria sido invadida e que seu nome estava mesmo na lista do curso de produção de cachaça, no IFNMG. “Imagina se eu tivesse média para passar para medicina? Além disso, prejudicou quem queria esse outro curso”, refletiu.

Um fórum anônimo na internet mostra que internautas disseminaram dicas para “roubar” a senha de estudantes que se destacaram no Enem 2016 e manipular as inscrições no Sisu, que usa a mesma senha.

Tereza confessou que ficou desapontada com o acontecido, mas que já se matriculou em um cursinho preparatório para o Enem 2017 e vai tentar novamente ser aprovada no curso de medicina.

(Via: G1 e Tecmundo)