Conheça o Dave Mitchell, de 49 anos, que é fã de ter um bom e velho celular, segundo a imprensa britânica, esse cara está feliz com seu celular antigo, o Nokia 3310 que tem 17 anos de idade e usa até hoje.

Dave fala que seu celular já foi parar na máquina de lavar, o acompanhou no serviço militar no Iraque e ainda assim só precisa recarregar sua bateria a cada duas semanas.

Ele já passou por muita coisa comigo. Caiu em várias ocasiões, no chão, no molho curry, já passou até pela máquina de lavar. Todas as vezes eu só o limpei, sequei e liguei novamente, e estava funcionando. É como se ele fosse feito de kriptonita – é indestrutível.

Ele ganhou algumas cicatrizes durante os anos, mas continua funcionando bem. Eu tenho uma câmera se eu quiser tirar fotos, e eu não faço selfies.

Segundo Dave, ele não é contra a modernização de aparelho, mas prefere usara internet de um computador, e não gosta das armadilhas que estão ligadas à presença contínua dos smartphones.

O grande lado negativo é que ele não consegue encontrar uma operadora que ofereça um plano apenas com mensagens de texto e minutos para ligação.

“Meu filho me deu um telefone mais novo com acesso à internet a alguns anos atrás, mas eu simplesmente não queria – minhas necessidades são muito básicas e esse celular tem uma calculadora e jogos como Snake 2 caso eu fique entediado”

Disse Dave. Depois de jogar Snake 2 no meu navegador por cinco minutos, posso confirmar que ele é como o Nokia 3310 dos joguinhos – incontestável, atemporal e cumpre com seu trabalho.

Parece que não há nenhuma verificação independente de que o celular de Mitchell é o mais velho em uso na Inglaterra. Considerando que a Nokia vendeu 126 milhões do 3310, eu suspeito que alguma outra pessoa ainda usa um desses.

NOKIA VOLTARÁ AO MERCADO DE SMARTPHONES COM ANDROID EM 2017

O que importa é que essa coisa é muito resistente e não parou de funcionar, e isso na era da obsolescência programada, é impressionante.

E se um dia ele parar de funcionar, talvez ainda tenha algumas utilidades:


(Via: Gizmodo)